segunda-feira, 9 de maio de 2011

Poesia

 “A poesia é uma função lúdica... Ela está para além da seriedade, naquele plano mais primitivo e originário a que pertencem a criança, o animal, o selvagem e o visionário, na região do sonho, do encantamento, do êxtase, do riso.”
(Johan Huizinga)

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

 
http://www.crmariocovas.sp.gov.br/lei_a.php?t=020#artigo
No link acima podemos ler um texto muito bom sobre subsídios para trabalhar poesia na sala de aula.

Um comentário:

Bety disse...

Vim retribuir a visita. Gostei muito do teu blog e já to te seguindo . Bjus!